A Sombra e a Escuridão

Escrito por Fábio Rockenbach

(The Ghost and the Darkness, EUA, 196 )

Direção de Stephen Hopkins, com Val Kilmer, Michael Douglas, Tom Wilkinson

- Quando era pequeno, havia um valentão na minha rua que era um terror. Sempre apanhávamos dele. Mas o pior, mesmo, era o irmão, que quando não estava preso estava junto com ele sempre. Os dois, juntos, eram o inferno, durante um bom tempo.

- E o que aconteceu?

- Eu cresci.


Revi “A Sombra e a Escuridão” depois de anos, por dois motivos: primeiro porque tinha boas lembranças da primeira vez que havia visto. E também porque queria entender porque o filme teve uma recepção tão fria e distante, seja nos cinemas, seja nas locadoras. Na época do lançamento a SET protestou pelo descaso dado ao filme. Alinhei com eles. Continuo alinhando. Não gosto de repetir sempre que um filme tenha sido vendido errado. O filme de Stephen Hopkins foi “entendido” errado. Muita gente reclamou que o filme não se definia entre privilegiar o caçador ou o engenheiro da história, e que o suspense não se mantinha pela narrativa cortada. Ledo engano: o único objetivo de “A Sombra e a Escuridão” não era o de provocar medo, mas contar uma impressionante história real na forma de um filme de aventura.

É o melhor filme de um limitado Stephen Hopkins ( que já se aventurou por diversos gêneros, assinando “Perdidos no Espaço”, Predador 2” e “A Hora do Pesadelo 5” entre outros ). Levou às telas uma história real a partir de um roteiro de William Goldman. E teve o bom senso de escalar dois atores reconhecíveis para o público, para que houvesse a empatia necessária do lado humano da história. Val Kilmer é John Patterson, encarregado de construir uma ponte sobre o Rio Tsavo, na África. no final do século passado. Experiente, ele sabe como trabalhar com homens que colocam à prova diferenças raciais, culturais e religiosas, mas encara um poço sem fundo ao se defrontar com dois leões de comportamento incomum que espalham o pânico entre os trabalhadores. Caçando juntos, atacando homens e agindo de forma completamente inesperada para um leão, eles logo são chamados “A Sombra e a Escuridão” ( título nacional para "o fantasma e a escuridão") e são encarados pelos trabalhadores como enviados do diabo contra a expansão do homem branco na África. Todos os sortilégios tentados por Patterson para capturar as feras caem por terra, e a única esperança está no auxílio que chega com o experiente caçador Remington ( Michael Douglas ).



Hopkins não pretendeu criar um filme de suspense. Fez, isso sim, um filme de ação à moda antiga contrapondo o homem, representando o progresso, e sua inoperância frente ao instinto selvagem da natureza. Centra no engenheiro Patterson toda a narrativa, e apresenta-o como um homem ciente de seus conhecimentos e acima de tudo, competente: o tipo de homem que nunca fracassa ( desde o diálogo inicial, passando pelas “lições” que dá ao padre quando chega à África e, sutilmente, quando se apresenta a Samuel, o narrador da história, que pergunta de onde ele vem. Patterson olha o céu rapidamente, aponta em direção ao nordeste e responde, seco: “De lá”, apontando a Inglaterra, para um atônito Samuel ). A maneira como as certezas de Patterson são desmontadas por dois animais irracionais e a transmutação dele, até a obsessão em capturá-los, guia o filme ( de tal forma que o engenheiro Patterson dá lugar ao caçador, e a ponte torna-se obsoleta ).

Hopkins não perde muito tempo apresentando seus personagens. Falta, assim, uma ligação maior do público com os outros elementos da trama que circundam Patterson. Há uma tentativa de criar esse vínculo, sempre com as conversas à beira da fogueira, à noite, mas elas são frágeis. Menos mal que, como tudo centra-se em uma caçada – onde os papéis de caça e caçador constantemente se invertem – essa ausência passa rasante. Mescla-se com o tom quase sobrenatural dado aos animais, até que, em um determinado momento de desespero, Patterson e Remington contemplam o acampamento vazio – todos fugiram – e olham para as colinas onde os leões se escondem. A frase seca de Patterson resume o sentimento:

- Sabe, são apenas leões...

Hopkins conduz de forma até hábil essa variação entre realidade e o tom fantástico de uma história real ( os animais eram chamados “comedores de homens de Tsavo” e estão expostos, hoje, no Museu de História Natural de Chicago ). De certa forma, a luta dos homens contra as feras, no filme, é quase uma parábola entre o poder da imaginação e do misticismo contra a frieza racional. Michael Douglas surge para dar força ao filme – mas ao mesmo tempo, o enfraquece, porque nunca ficamos sabendo ao certo quem é Remington, e o roteiro não colabora para elucidar esse ponto. Torna-se apenas mais um elemento circundando Patterson, o grande elemento da trama. E em torno dele, constrói-se uma bela história de aventura e obstinação, conduzida com bom ritmo – a seqüência final na ponte é fraca, mas o filme se sustenta por tudo o que se construiu anteriormente, e pela construção de todo um cenário que se apóia na visão aventuresca da África, já usada anteriormente em vários filmes ( a trilha sonora com vozes africanas fecha essa construção de forma perfeita ). Não vai marcar vidas, não vai marcar o cinema mas vai proporcionar duas horas de uma diversão inteligente e até nostálgica em certos sentidos.

11 Comentários:

  1. Pedro Henrique disse...

    Ainda não vi "A Sombra e a Escuridão".

    Você me convenceu, comprei a trilogia de "O Senhor dos Anéis" com as versões estendidas. Vamos ver se agora entendo a moral do anel!!!

  2. Fábio L. Rockenbach disse...

    Hehehehe.... não jogue a responsa pra cima de mim, acho que a saga se completa para quem mergulha também no universo literário e artístico dela. Aí, as versões estendidas são um presente mesmo.
    "A Sombra e a Escuridão" é legal!

  3. Weiner disse...

    Acho o nível de produção de "Sombra e Escuridão" é dos mais elevados, e tenho ele em minha coleção, pois ao comprar o box do Indiana Jones, ele veio de brinde.
    Abraço!

  4. Anônimo disse...

    ricardo rezende:eu adoro este filme pois sou amante dos animais e principalmente o leão e para mim o mais impressionante é a inteligência dos animais.segundo aquele ditado: se DEUS desse asa a cobra seria um bicho ameassador. pense em uma fera como um leão,imagine uma inteligência superior ,é realmente assustador

  5. 100chanse disse...

    eu acho que esse filme,reacendeu a saga dos fimes de suspence na epoca,sou fa desse filme!

  6. Anônimo disse...

    ,pra min e o melhor filme de todos os tempos, um filme que incentiva as pessoas domar o seu propio medo,um otimo filme pra ver e querer ver dinovo pra quem gosta de aventuras e de animais .Eu tinha visto esse filme a muito tempo, e a muito tempo eu venho procurando esse filmee e nunca achava hoje eu pudi rever esse filme e estou muitoo relizado.

  7. Anônimo disse...

    PEDRO IGOR volta redonda ,RJ.Pra min e o melhor filme de todos os tempos, um filme que incentiva as pessoas domar o seu propio medo,um otimo filme pra ver e querer ver dinovo pra quem gosta de aventuras e de animais .Eu tinha visto esse filme a muito tempo, e a muito tempo eu venho procurando esse filmee e nunca achava hoje eu pudi rever esse filme e estou muitoo relizado.

  8. rose disse...

    Vi,gravei em VHS e vou comprar o DVD.
    Sempre revejo...
    Esse filme trata de um fato histórico
    romanceado,mas,mesmo assim muito bom.
    Gosto do MIchael Douglas do Val Kilmer,embora o ache meio limitado.
    Depois de "As Minas do Rei Salomão de
    1950",esse é o melhor filme de
    aventuras que já assisti. Mas uma coisa eu gostaria de saber: o caçador
    é ficção ou existiu mesmo,como o
    coronel Paterson?

  9. rose disse...

    Vi,gravei em VHS e vou comprar o DVD.
    Sempre revejo...
    Esse filme trata de um fato histórico
    romanceado,mas,mesmo assim muito bom.
    Gosto do MIchael Douglas do Val Kilmer,embora o ache meio limitado.
    Depois de "As Minas do Rei Salomão de
    1950",esse é o melhor filme de
    aventuras que já assisti. Mas uma coisa eu gostaria de saber: o caçador
    é ficção ou existiu mesmo,como o
    coronel Paterson?

  10. Fabio Rockenbach disse...

    Rose
    Existiu sim

    http://en.wikipedia.org/wiki/John_Henry_Patterson_%28author%29

    http://www.netluz.org/fntextos/fnt/fnt35.htm

    Abraço

  11. Anônimo disse...

    Is Bigfoot Genuine or make-believe? For over 4 hundred many years, there have been reporting’s of a man like beast that is definitely absolutely covered in hair.
    [url=http://www.is-bigfoot-real.com/]yeti[/url]