Balanço do Mês

Escrito por Fábio Rockenbach

Entre novos filmes e revisões, poucos tempo para clássicos e muito tempo para matar a saudade de algumas pérolas da infância. Sobre os novos filmes, uma safra até boa, mas a época de premiações em outros anos parecia mais rica de qualidade ( ainda não vi Benjamin Button e Slumdog Millionaire ) e uma grande surpresa, pessoalmente: "O Dia em que a Terra Parou" foi bem melhor do que eu imaginava. Alguns já criticados aqui, outros surgirão em breve.


Os Inocentes
( The Innocents, 1961 ) Direção de Jack Clayton
Assustador sem ser apelativo. Clayton praticamente resumiu em duas horas todos os ícones sobre casas mal-assombradas em uma das mais ricas experiências visuais do gênero.



Gran Torino
( Gran Torino, 2008) Direção de Clnt Eastwood
Só o velhor Clint para conseguir usar do próprio estereótipo criado em torno dele para criar uma nova expectativa e revertê-la no clímax de uma bela história - criada por momentos empilhados, tijolo a tijolo, que se justificam no final.

O Caminho para Casa
( The Road Home, 1991 ) Direção de Zhang Yimou
Uma das mais tocantes experiências românticas do cinema nos últimos 20 anos. E Zhang Yimou nem precisou usar de beijos ou do simples toque para isso.

Os 3 dias do Condor
( 3 Days of Condor, 1975 ) Direção de Sydney Pollack
Trama de espionagem à moda antiga, sem a ação descerebrada das produções atuais. Vale mais do que tudo o charme. São os atores que conduzem a trama, e ter Redford em seu melhor momento ajuda muito.

Zombie, a Volta dos Mortos Vivos
( Zombie, 1979 ) Direção de Lucio Fulci
Fulci em seu melhor momento, entregando cenas antológicas. Tem uma das cenas de morte mais "what a fuck" da história dos filmes de horror, envolvendo uma lasca de madeira.


O Veredito
(The Verdict, 1982 ) Direção de Sidney Lummet
Ainda um dos melhors filmes de tribunal do cinema, e um dos mais patéticos e ridículos anti-heróis das últimas décadas. Por isso mesmo, ótimo.


Rede de Mentiras
(Body of Lies, 2008 ) Direção de Ridley Scott
Não há muito de Ridley Scott aqui, mas já faz tempo que não surge algo que possa ser dito ser, realmente, de Scott. O filme pertence a DiCaprio mesmo - e se a trama é intrincada, ou se o filme flui pesado, a culpa é do objeto em questão. Felizmente não foi tratada de forma rasa. Mas não é um filme que eu veria novamente.

Milk, A Voz da Igualdade
(Milk, 2008 ) Direção de Gus Van Sant
Duas palavras: Sean Penn.

Appaloosa
( Appaloosa, 2008 ) Direção de Ed Harris
Parece pegar vários caminhos e não ter direção, mas o tempo todo Harris sabe o que está fazendo.

Frost/Nixon
( Frost/Nixon, 2008 ) Direção de Ron Howard
Trata-se da história de dois homens que foram do topo para a sarjeta e querem voltar. Mas eles sabem que somente um poderá sair vitorioso. É isso mesmo... no fundo, é um combate.

Warriors, Os Selvagens da Noite
(Warriors, 1979 ) Direção de Walter Hill
Walter Hill da forma como sempre foi melhor: diversão pura, mergulhando no underground com uma boa dose de falsidade em prol da ação.

O Dragão e o Feiticeiro
( Dragonslayer, 1981 ) Direção de Matthew Robbins
Nem de longe parece um filme Disney. Talvez o mais dúbio e negro conto de dragões e feiticeiros, provavelmente avançado para a sua época. Fica melhor com o passar dos anos. Não serve para crianças assistirem antes de dormir.

A Vingança do Diabo
( Pumpkinhead, 1988 ) Direção de Stan Winston
Stan Winston podia se aventurar mais na direção. Seu filme é um dos melhores exemplares do cinema de horror dos anos 80. Envolvente.



A Bruma Assassina
( The Fog, 1980 ) Direção de John Carpenter
Carpenter naquela que considero sua melhor época. Despretensioso, muito melhor do que a refilmagem. Este aqui tem mais alma.

Os Estranhos
( The Strangers, 2008 ) Direção de Bryan Bertino
O horror pelo horror, sem justificativa. A violência pela violência. Não é muito diferente do que se vê em outras mídias. Se não há o susto, há o baque pela forma sêca como é mostrado...

Firefox - Raposa de Fogo
( Firefox, 1981 ) Direção de Clint Eastwood
Clint Eastwood na guerra fria, invadindo a URSS para roubar uma aeronave de espionagem de alta tecnologia para o governo norte-americano. Sem ação desenfreada, mas com um clima de espionagem que não se faz mais hoje em dia.


[REC]
( [REC], 2007 ) Direção de Jaume Balagueró
Poderia ser manjado e enjoativo, na onda de filmes que beberam da idéia, mas tem um charme próprio. E assusta, o que é mais importante para um filme de terror.

Olhos de Serpente
( Snake Eyes, 1998 ) Direção de Brian DePalma
Toda a histeria visual de DePalma em movimentos e composições brilhantes. A resolução final - não apenas da história, mas o que parece ser até uma certa preguiça de DePalma na conclu~são - acabam empalidecendo um pouco a brilhante metade inicial.

Quando Chega a Escuridão
( Near Dark, 1988 ) Direção de Kathryn Bigelow
Seria refilmado em 2008 se não tivessem lançado "Crepúsculo". Melhor assim, deixem o filme de Bigelow lá atrás, com seu status de cult, perdido nas estradas do meio oeste com sua "família" de vampiros errantes e perdidos. Tem sua grandiosidade própria, sobrevive melhor assim, conhecido por menos pessoas.


Filadélfia
( Philadelphia, 1993 ) Direção de Johnathan Demme
Visto hoje, ainda mais ultrapassado em sua própria visão preconceituosa do que deveria ser um grito contra o preconceito. Mas vale por um Tom Hanks, realmente, fabuloso. E visto hoje, percebe-se como Washington literalmente está sobrando no filme, posto de lado...

O Fim do Mundo
(When worlds collides, 1951 ) Direção de Rudolph Matté
Tolo e cativante em suas visões de tecnologia do futuro - o foguete sendo lançado por uma rampa montada em uma montanha é hilário. Mas cativante em toda sua trama. deve ter influenciado muitos dos recentes filmes-catástrofe sobre perigos ao nosso planeta vindos do espaço. A falta de rigorosidade científica e tecnologia nos efeitos não me impediu de apreciar.


Peggy Sue, seu Passado a Espera
( Peggy Sue Got Married, 1984 ) Direção de Francis Ford Coppola
Muito aquém do talento de Coppola, mas ainda nostálgico. Nunca entendi como Kathleen Turner podia convencer no papel de uma adolescente, mas sendo uma imagem do presente projetada em seu passado, revivendo-o ( apenas nós a vemos como uma mulher mais velha ). Talvez seja isso que ainda me incomode.


O Dia em que a Terra Parou
( The Day the Earth Stood Still, 2008) Direção de Scott Derrickson
Surpreendeu na primeira vez. Não resistiu a uma revisão. Esperava mais do mesmo, mas Derrickson avacalha com a pretensão americana de "falar pelo mundo", e avança em pontos que o clássico de 1951 não conseguiu. O problema, que fica mais visível a cada revisão, é que derrapa na correção política e acelera demais no seu final. Sem falar que não aguentei o filho do Will Smith - como já sabia o que ele diria, acelerei o filme sempre que ele abria a boca.

007 - Quantum of Solace
( Quantum of Solace, 2008 ) Direção de Marc Forster
Estou acompanhando um personagem mais humano, violento, realista, mais inserido em nosso tempo, mas sem identidade, sem carisma, sem algo que me faça conectá-lo a mim como espectador. Algo está perdido...

O Ultimo Guerreiro das Estrelas
( The Last Starfighter, 1984 ) Direção de Nick Castle
Ultrapassado em sua tecnologia, mas ainda cativante. Tolo, é verdade, com problemas de lógica mesmo em sua falta de lógica, mas quem liga pra isso? É infância, saborosa...



Capricórnio um
( Capricornio One, 1978 ) Direção de Peter Hyams
Uma das mais ricas idéias tão bem desenvolvida ao longo da maior parte do filme para, se forma inexplicável, ser perdida por uma aparente pressa na resolução que atropela todos os cuidados com a verossimilhança. Uma pena, a última meia hora quase põe a perder a brilhante metade inicial.

Sete vidas
( Seven Pounds, 2008 ) Direção de Gabriele Muccino
Manipulador, manda a lógica e a continuidade para o espaço tantas vezes, e aposta tanto em um "segredo" facilmente descoberto na primeira metade que nem dá pra me importar com o fato de ter sido feito só para arrancar lágrimas.

Atos que desafiam a Morte
( Death Defying Acts, 2007 ) Direção de Gillian Armstrong
Houdini merece mais do que uma história indecisa em seus rumos e motivações.


Perigo em Bangcok
( Bangcok Dangerous, 2008) Direção de Oxide Pang Chun e Danny Pang
Pobre Cage... tem feito por merecer o descaso nos últimos anos.

Corrida Mortal
( Death Race, 2008 ) Direção de Paul Anderson
Pobre Statham, merece um dia encontrar um bom diretor. Acelera e foge...

3 Comentários:

  1. Faéu disse...

    UAU cara... não vi metade mas tem muito filme interessante aí. Vou dar ma caçada em Firefox.

  2. Marcus Vinícius disse...

    Opa, um alento pra ir conferir "O Dia que a Terra Parou". Legal, até porque eu to curioso pra vê-lo.

    Abraço!

  3. Fábio L. Rockenbach disse...

    Não espere muita coisa. Já vi que sou um dos poucos que viu qualidades no filme - a maioria prefere comparar com o original e chorar de como o remae não faz sombra ao filme de 1951. Ele atualizou muita coisa, perdeu a chance de se aprofundar em outras e errou feio no final, mas esperava algo muito pior.